quinta-feira, 5 de fevereiro de 2009

Questionar a relação do Ser Humano com o Mundo

Ver as coisas e as pessoas como elas são, em vez de procurarmos nelas o reflexo do que imaginamos e desejamos.

O homem enquanto animal racional e portanto, sujeito cognoscente, quando "vê", quando observa o mundo e todos os objectos que o circundam, depara-se com uma dificuldade: "Como é possível conhecer algo?". Diremos que em termos de conhecimento, não é possível ter acesso àquilo que as coisas são em si mesmas. Porque o mundo (conjunto de coisas, seres e pessoas) apresenta-se como fenómeno. Isto é, o nundo revela-se, aparece. O objecto em si é incognoscível. O sujeito apenas tem acesso ao modo como o objecto aparece. Se este 'aparecer' pode ser aparência, também é verdade. Tomemos o exemplo do Sol que parece girar em torno da Terra, mas sabemos que é a Terra que gira em torno do Sol. Este será o primeiro nível do conhecimento: ver as coisas e as pessoas não como elas são, mas como elas aparecem. O mundo é a imagem que o sujeito recolhe, de acordo com as suas estruturas racionais. O trabalho do conhecimento é mais tarde conseguir separar o que aparece do que parece, mas não é. Contudo, o objecto em si mesmo não é possível ser conhecido.E tal como somos racionais, também não deixamos de ser corpo e sentir desejo.O mundo é para cada um de nós subjectivo e distinto de outro sujeito. É sobre a base da subjectividade que se constrói a adequação entre aquilo que cada um é e aquilo que o circunda. Pergunta-se: A nossa expectativa e os nossos desejos podem configurar o mundo e os outros segundo o nosso gosto e conveniência? Na minha opinião, o mundo é para cada um de nós um mundo próprio e diferente, apesar de todos o partilharmos. A nossa formação individual, os nossos gostos, apreciações e valores, todo esse conjunto é transferido para o mundo, o que faz com que uma situação, ocorrência ou facto seja distinta para cada um de nós e tenha conteúdos significativos diferentes. Retomando o exemplo do Sol. Para um astrónomo, o Sol representa um objecto de estudo científico. Para um agricultor, será um fenómeno importante para as suas sementeiras. Para um artista, a base de inspiração para um quadro. Para outra pessoa, uma imagem divina, etc. Desta forma, na nossa relação com o mundo, vemos as coisas e as pessoas não como elas são, mas vemos as coisas e as pessoas como elas se nos apresentam, como elas permitem ser conhecidas e sentidas.
Carla Sofia

17 comentários:

Chica disse...

Lindíssima tua reflexão!Apesar de seu um Todo, somos cada um diversos e diferentes e por isso temos olhares distintos sobre a mesma realidade que se apresenta1 um beijo e tudo de bom,chica

Licas disse...

Olá Carla
Porque somos diferentes e reflectimos a mesma realidade de ângulos distintos, mas que quase sempre se interceptam, lhe envio mais um mimo. Vá por favor buscá-lo ao meu blog.
Obrigada

Marta Vasil disse...

Carla
Não tenho conhecimentos científicos que permitam analisar o teu texto, uso a minha sensibilidade e transcrevo um dos excertos onde parei na leitura:
"O mundo é para cada um de nós subjectivo e distinto de outro sujeito".

E deixo-te outro excerto que relaciono com o teu texto, de um livro que ando a ler (p'ra frente e p'ra trás):
"Aparece-me à frente o propriamente dito Planeta Impossível. Já ouvi muitas descrições talvez todas sejam verdade mesmo as contraditórias a este nível da realidade sensível as Lendas Lácteas afirmam as contradições..."

Bjs

MV

frAgMenTUS disse...

oi kida, estou a ver q andas filosófica...pk será? lol
apetece-me ser básica, do senso comum e pensar numa tarde de esqumós com a rita, o q dizes?
bjo grnd

Pedro Barata disse...

Mais um texto lindo. Muitas vezes o problema está em ver as pessoas como as idealizamos e não como elas são... Sem dúvida!
Beijinhos

Nuno de Sousa disse...

Bela reflexão que nos faz pensar... gostei do que li e sabemos o talento que tens por escreveres... continua.
Bjs grandes amiga estarei de volta 2ª feira vai ser um fds fora de casa para descanso.
Nuno

Vivian disse...

..."Não podes ver o que és. O que vês é a tua sombra." (Rabindranath Tagore)

amei tua reflexão...

obrigada tbm pelas palavras
carinhosas lá em casa.

bjus, Carlinha!

em azul disse...

E por isso pintamos o mundo da cor que mais gostamos


Beijo
em azul

entremares disse...

Primeira visita a este blog...

Apreciei muito o teu ponto de vista.
Já o David Hume dizia que " A beleza das coisas não está nas coisas, mas sim nos olhos de quem as vê"

Quero acreditar, pelo que li, que também concordas...

Obrigado.


http://entremares.blogs.sapo.pt

Maripa disse...

"Nenhum homem é uma ilha.Cada ser humano é uma parte de um todo."J.Donne

...e como parte desse todo "aceitar" as pessoas como elas são. As vezes torna-se difícil,mas o respeito e a tolerância para com o próximo é imprescindível para vivermos em paz.

Belo texto para pensar e reflectir.

Beijinho,Carla Sofia.

lua prateada disse...

É verdade amiga somos tudo isso...
Passei voando
Arrastada por um fio.

Não passei por nada
Apenas ,porque de mim emana
Grande amor por meus amigos
Passei desejando bm fim d semana.

Beijinho prateado com carinho

SOL

UMA PAGINA PARA DOIS disse...

Fazer amor é andar por
Caminhos da alma
Com o toque de um beijo
Sem pressa...
Sentir o roçar da mão no ombro
Daquele que caminha ao lado,
Acordar sempre com um
Eu te amo,
Renovado e sincero...
Ver juntos o por do sol,
Em silencio ler um livro
Numa velha poltrona..
Fazer amor é pisar na eternidade,
Fazer estrelas e sentir
O perfume das manhãs,
Sorrisos de sol,
Olhos de mar...
Fazer amor é realizar sonhos,
Viver na consistência do céu...

Sônia Schmorantz

Só passei para te desejar um lindo final de semana
Abraços

Safira disse...

Nunca há só uma realidade...ou, melhor dizendo, a cada ser a sua apreensão da realidade.
Beijinhos e bom domingo

Sandra disse...

Soberbo, Carlinha!
Forte abraço!
Sandra

VIDA disse...

...na nossa relação com o mundo, vemos as coisas e as pessoas não como elas são, mas vemos as coisas e as pessoas como elas se nos apresentam...

Toda a apresentação, é alvo de interpretação, mental, pegando no teu exemplo.

..."Para um artista, a base de inspiração para um quadro. Para outra pessoa, uma imagem divina, etc"...

Contudo quando a interpretação individual (e=ego) se ausenta, a realidade se apresenta sem interferências, sem rótulos e sem máscaras. revelando apenas o que "É" sem nada a adicionar.

E nesta visão todos podemos aceder e partilhar, porque ela é igual para todos, que a contemplam.

Paz

Vitor Lopes disse...

escrita com alma

Liliana disse...

Olá.

O homem pensa que vê...mas ele vê o que pensa.
Para mim,Saber, é conhecer com cada célula do corpo.
Mas nós sabemos muito pouco...

Um abraço

Um Anjo disse-me:
A nossa Fé dá-nos a força que precisamos quando tudo parece impossível.
As fotos deste blog são de minha autoria, à excepção das que são oferecidas pelos meus amigos. Todas estão devidamente identificadas.

Seguidores

Arquivo dos Universos

universos criados por aqui...